Qualquer pessoa gosta de se olhar no espelho e se sentir satisfeito com aquilo que vê. Um corpo com massa bem distribuída, cabelos brilhantes, pele macia, dentes brancos, entre outros atributos. A questão é que a sociedade, com o reforço da mídia, explora tipos físicos tidos como ideais ou “padrões”. Na adolescência, em especial, muitos indivíduos procuram um meio de autoafirmação através da aparência física. Quando a realidade não condiz com as revistas e websites, problemas de autoestima, muitas vezes graves, podem surgir.

Obesidade

A Organização Mundial da Saúde considera a obesidade um dos maiores problemas de saúde pública no mundo nos dias atuais. A má alimentação, combinada com a falta de uma prática regular de exercícios físicos, é apontada como causa do problema, mas não é a única. Fatores genéticos também influenciam na facilidade de acumular peso. Além dos problemas físicos decorrentes da obesidade, como hipertensão e diabetes, problemas emocionais podem ocorrer. Quando uma sociedade considera magreza sinônimo de beleza, quem está fora do padrão tende a ter problemas de autoestima, que podem culminar em depressão, anorexia ou bulimia.

Ginecomastia

A ginecomastia é um aumento nas glândulas mamárias masculinas. Essa condição ocorre quando há um desequilíbrio nas quantidades de testosterona (hormônio masculino) e estrogênio (hormônio feminino). Esse desequilíbrio ocorre em consequência de algumas condições de saúde, como efeito colateral de alguns medicamentos ou em decorrência do uso de drogas e esteroides anabolizantes. Também pode ocorrer de forma natural em determinadas fases da vida, como na terceira idade e durante a adolescência. Não se trata de um problema grave, mas a condição pode causar vergonha de tirar a camisa em público, fazendo com que o homem não queira mais ir à praia ou à piscina, por exemplo, pois suas mamas estão com aspecto feminino. O isolamento social também pode causar baixa autoestima e quadros depressivos. Felizmente, a condição pode ser resolvida por meios medicamentosos ou cirúrgicos.

Aparência física e problemas de autoestima

Acne

A acne também é um problema bastante comum na adolescência. A ebulição hormonal característica da fase tem consequências dermatológicas. É nesse contexto que surge a acne, que deixa os jovens bastante insatisfeitos com a aparência de seus rostos, justamente em um momento em que a aceitação das pessoas ao redor é tão importante. De acordo com um estudo realizado pela Universidade de Miami, a autoestima de jovens e adultos que lidam com a acne cai drasticamente. Ainda segundo a pesquisa, as tendências depressivas por conta de problemas dermatológicos são maiores em meninas.

Dismorfia

A dismorfia, ou Transtorno Dismórfico Corporal (TDC), é uma patologia pouco conhecida, caracterizada pela visão deturpada da autoimagem. O indivíduo, ao olhar-se no espelho ou ao ver uma fotografia de si mesmo, visualiza imperfeições maiores do que são de fato, levando-o a um estado de preocupação excessiva. Em casos extremos, a insatisfação com a forma física gera uma procura obsessiva por dietas, medicamentos e procedimentos estéticos, inclusive cirúrgicos. Entretanto, a compreensão da realidade acerca do próprio corpo encontra-se comprometida nos indivíduos com TDC, podendo leva-los a quadros depressivos. Mais uma vez, a psicoterapia e o uso de medicamentos (quando necessário) são os tratamentos recomendados.