Os brinquedos fazem parte da infância da maioria das pessoas. Estes objetos têm funções importantes, não só de entreter, distrair ou divertir, mas também de proporcionar aprendizado. Ao brincar, a criança experimenta, estimula a criatividade e a imaginação e, por fim, adquire conhecimento sobre como funcionam as coisas e o mundo ao seu redor.

É essencial que os pais e responsáveis adquiram brinquedos apropriados a cada idade, já que bebês e crianças muito pequenas tendem a colocar objetos na boca e correm maior risco de se machucar. Para garantir que não haja riscos, a recomendação é de que só sejam comprados brinquedos com o selo do Inmetro.

Presença de chumbo em brinquedos traz riscos à saúde

Inmetro

O Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) é um órgão responsável por criar programas de avaliação de conformidade para determinadas categorias de produtos que apresentem potenciais riscos à segurança e à saúde dos usuários, ao meio ambiente ou impactos econômicos. Os brinquedos, por serem destinados a tão frágil faixa etária, são uma dessas categorias.

Certificação

Para que possa ser comercializado em todo o território brasileiro, qualquer brinquedo precisa obter o selo do Inmetro. Isso só acontece depois que os produtos, sejam eles de fabricação nacional ou importados, forem aprovados em ensaios laboratoriais. Esses testes avaliam uma série de quesitos de segurança, como propriedades mecânicas e composição química. Os fabricantes devem registrar seus brinquedos junto ao Inmetro, e um dos meios de se fazer isso é o sistema Orquestra Inmetro.

Qualquer pessoa que comercialize brinquedos sem o selo do Inmetro está colocando seus consumidores em risco, além de não seguir a lei em vigor. As punições envolvem apreensão de produtos e pagamento de multas.

Os riscos do chumbo

Um dos itens mais importantes na avaliação de brinquedos pelo Inmetro é a quantidade de chumbo presente nas tintas aplicadas nos objetos. Em altas doses, o chumbo pode causar problemas cerebrais e no sistema nervoso central do indivíduo que entrou em contato. Trata-se de um metal pesado que, infelizmente, ainda é muito utilizado na pintura de casas, móveis e brinquedos, já que seu preço é mais baixo em comparação com outros tipos de tinta.

A toxicidade do chumbo provoca anualmente a morte de 143 mil pessoas e problemas mentais em 600 mil crianças em todo o mundo. O risco do produto nos brinquedos é de que as crianças coloquem determinadas peças na boca, fazendo com que o metal seja absorvido e caia na corrente sanguínea.

OMS

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que os brinquedos com tintas à base de chumbo sejam proibidos em todo o mundo. A fabricação de tintas desse tipo já foi banida em 30 países e a organização pretende proibi-la mundialmente até 2020. A legislação brasileira estabelece limites para a utilização do metal, mas brinquedos piratas continuam circulando sem respeitar as normas, a maioria importada da China.