Os Simpsons é um desenho animado criado pelo roteirista, animador e cartunista norte-americano Matt Groening. Destinados ao público adulto, os episódios retratam de forma ácida e humorística uma típica família de classe média de uma cidade pequena nos Estados Unidos. O protagonista é o chefe da família, Homer, um inspetor de segurança em uma usina nuclear. Homer é desastrado, preguiçoso e comilão. Ele é casado com Marge, uma dona de casa dedicada e estereotipada. O casal tem três filhos: Bart, um garoto rebelde que vive se metendo em confusão; Lisa, uma garota inteligente e estudiosa, mas sem grande popularidade na escola; e a caçula Maggie, um bebê que ainda não fala.

Os Simpsons: há 30 anos no ar, mais atual do que nunca

Críticas

Além da família suburbana, a série também é conhecida por satirizar diversos outros estereótipos sociais: o indiano viciado em trabalho, o dono de bar depressivo, o texano rico e ambicioso, o policial preguiçoso e corrupto, o nerd antissocial dono de uma loja de revistas em quadrinhos, e por aí vai. Os Simpsons também se destaca por seu leque de polêmicas ao criticar, sem muitos rodeios, religiões e os governos americanos, bem como de outros países. Característica essa que já atingiu inclusive o governo brasileiro, já que a representação do Brasil em um dos episódios foi classificada como excessivamente violenta.

Números que impressionam

Os Simpsons estreou na televisão em 1987. Atualmente em sua 28ª temporada, o desenho já foi traduzido para mais de 50 idiomas e exibido em 90 países. A 29ª e a 30ª temporadas já estão garantidas. A renovação foi feita pela FOX, emissora que exibe essa que é uma das mais longas produções da televisão. Você também pode acompanhar a série pelo teste CS.

Ao todo, serão mais de 660 episódios somados, desde 1987. Se você quisesse fazer uma maratona para assistir a todos os episódios exibidos até hoje, seria preciso ficar 10 dias acordado. A produção de cada episódio demanda entre seis e oito meses e custa até 2 milhões de dólares.

Das telinhas às telonas

Em 2007, foi lançado o filme da série, focado em questões como: corrupção na política, preservação ambiental e, é claro, problemas familiares. O custo de produção ficou em aproximadamente 65 milhões de dólares. O lucro, no entanto, foi oito vezes maior, obtido com bilheteria e publicidade. Por falar em publicidade, anúncios de 30 segundos nos intervalos do desenho animado chegam a custar mais de 160 mil dólares na televisão americana.

Prevendo o futuro?

A capacidade de representar a atualidade é tão incrível em Os Simpsons que algumas coincidências ocorreram em certos episódios. A eleição de Donald Trump como presidente dos Estados Unidos, a criação de alimentos transgênicos, a epidemia do vírus ebola e a derrota do Brasil para a Alemanha na Copa do Mundo, com referência à lesão de Neymar, são alguns dos eventos que apareceram de forma alusiva antes de se tornarem realidade. Isso acabou rendendo ao desenho a fama de “vidente”.

Prevendo ou não o que ainda vai acontecer, o fato é que Os Simpsons continua sendo uma das mais assistidas e amadas obras da televisão. Ano após ano, a série segue como referência na hora de colocar o dedo na ferida, mas também em fazer a sociedade rir de si mesma.