Desde que o homem começou a marcar sua presença no mundo, uma característica única passou a diferenciar sua espécie das demais: a capacidade de mover e carregar consigo os objetos dos quais necessitava. Ao se deparar com cargas mais pesadas, o homem percebeu que a própria natureza poderia lhe fornecer utensílios capazes de movê-las sem empregar tanta força. Surgiram, então, as máquinas simples.

Alavancas

As alavancas consistem em plataformas rígidas com um ponto fixo. De um lado desse ponto, é posicionada a carga e do outro lado do ponto fixo é aplicada a força necessária para levantá-la. A vantagem da alavanca é que ela multiplica a força aplicada sobre o objeto, com um esforço menor.

Máquinas simples: o princípio básico da movimentação de cargas

Plano Inclinado

O plano inclinado é, por definição, uma superfície plana cujo ponto inicial e ponto final encontram-se a diferentes alturas, ou seja, são rampas. O princípio de funcionamento dos planos inclinados parte da ideia de que é mais fácil elevar uma carga por meio de seu deslocamento sobre um plano inclinado do que em uma trajetória puramente vertical. Nesse tipo de máquina, substitui-se força por distância. O parafuso também é um exemplo de plano inclinado, pois, ao rosqueá-lo, estamos substituindo força pela distância (representada pelas várias voltas que o parafuso dá).

Polias

As polias, também conhecidas como roldanas, são discos rígidos em torno dos quais há um fio que carrega as cargas. Do outro lado do fio, o indivíduo realiza a força necessária para içá-la. A vantagem da polia é que ela permite uma inversão no sentido de aplicação da força, isto é, a pessoa que precisa levantar determinado objeto deverá fazer a força para baixo, o que facilita o processo, pois a ação ocorre a favor do sentido da gravidade. Há também roldanas móveis, que, ao serem combinadas, criam engrenagens capazes de reduzir a força necessária para içar determinado objeto. Um exemplo prático de aplicação das polias ocorre em academias, onde as pessoas fazem esforço para baixo para levantar pesos.

Roda

Parece algo banal, mas a invenção da roda modificou os rumos da humanidade. Ela é definida como um elemento cilíndrico que gira ao redor de um eixo. Essa rotação possibilita uma movimentação praticamente sem atritos com o solo, o que pode aumentar a velocidade e reduzir a força aplicada para movimentar cargas. Exemplos disso são as próprias rodas dos veículos que, juntas, conseguem mover toneladas.

Atualidade

Essas grandes descobertas da Física tiveram início na Antiguidade e evoluíram com o desenvolver da História. A partir delas, a humanidade conseguiu criar máquinas mais complexas que otimizam sua produtividade. Se não fosse por elas, as técnicas atuais de elevação e amarração de cargas não existiriam e, provavelmente, não produziríamos tanto quanto produzimos.