Quando se fala em iluminação de ambientes, há diversas opções e modelos de luminárias que podem ser utilizados: lustres de cristal, luminárias pendentes, arandelas, abajures, entre outros. É justamente essa diversidade, no entanto, que causa confusão nas pessoas na hora de escolher a melhor fonte de iluminação.

Lustres x Pendentes: Qual a melhor opção?

Antes de qualquer outra coisa, é preciso diferenciar lustres de pendentes. Os lustres são maiores e mais elaborados, com vários “braços” que sustentam as lâmpadas e maior riqueza em detalhes decorativos. As luminárias pendentes, por sua vez, têm quantidade reduzidas de lâmpadas, geralmente de uma a três.

Quando usar os lustres?

A característica principal dos lustres é a capacidade de iluminar os ambientes de forma mais intensa e generalizada. Por este motivo, são mais utilizados em ambientes com o pé direito alto (na arquitetura, o pé direito se refere à distância entre o piso e o teto), como é o caso das salas de estar, salas de jantar e até mesmo em quartos. Costumam ser o principal ponto de decoração e tornam o ambiente mais aconchegante, moderno ou clássico, dependendo de seu estilo. Os lustres podem ser bastante imponentes e revelar a personalidade de um lugar, sendo, por isso, comumente aplicados em halls de entrada e recepções.

Quando usar pendentes?

Ao contrário dos lustres, as luminárias pendentes têm iluminação mais direta, com foco para baixo. Por criarem pontos específicos de luz, é possível que haja mais de uma luminária espalhadas por determinado ambiente (sua utilização aos pares ou trios são tendências modernas), sendo que possuem altura ajustável. São mais usados sobre mesas de jantar e locais de leitura. Têm sido utilizados também nas laterais dos quartos, em substituição aos abajures.

Cuidados

Em se tratando tanto de lustres quanto de luminárias pendentes, é fundamental que seu estilo decorativo esteja em harmonia com o local em que são inseridos. Não devem ser encarados como meros instrumentos, mas sim como objetos que fazem parte da decoração. Uma dica valiosa em salas de jantar, por exemplo, é que o design das luminárias acompanhe o formato das mesas, ou seja, luminárias ovais para mesas ovais, luminárias redondas para mesas redondas, e assim por diante.

É preciso prestar atenção à altura das luminárias. Se estiverem muito altas, podem “estourar” a luz por todo o ambiente. Se estiverem muito baixas, podem criar focos de luz muito limitados, além de prejudicarem a mobilidade das pessoas no local.

Outro aspecto que requer cuidados são as sombras. Muitas vezes, os detalhes da decoração nas luminárias ou um mal posicionamento das mesmas podem criar sombras que prejudicam a visibilidade no ambiente, tornando-o poluído. Também é preciso evitar o reflexo que a luz pode causar em vidros ou em móveis espelhados. Difusores ou protetores podem reduzir o incômodo e deixar o local mais aconchegante.

Com base nessas dicas, você já pode criar um projeto de iluminação criativo e eficiente!