Não são tão raros os casos de homens que possuem as mamas em tamanho aumentado e até mesmo com aspecto feminino. Essa condição, chamada ginecomastia, não configura nenhum problema de saúde grave, porém, é motivo de constrangimentos e vergonha do próprio corpo para muitos homens. O problema pode atingir homens em diferentes idades, como recém-nascidos, adolescentes e idosos.

O lado bom é que muitos dos casos têm regressão espontânea. Para aqueles em que isso não ocorre, há as possibilidades de tratamento medicamentoso ou cirúrgico, de acordo com a evolução do quadro.

Ginecomastia possui diferentes causas

Apesar de existir tratamento eficaz, muitas pessoas se perguntam: por que a ginecomastia ocorre?

O que é a ginecomastia?

A ginecomastia, ao contrário do que as pessoas pensam, não é apenas um aumento de gordura nas mamas. O problema consiste num aumento constatado na glândula mamária. Isso ocorre quando há um desequilíbrio entre os hormônios femininos e masculinos no organismo. As causas para esse desequilíbrio são bastante diversificada. Confira:

Causas Fisiológicas

Há casos de ginecomastia em que o problema não surge em decorrência do uso de alguma substância ou de algum problema de saúde. Na verdade, o problema é originado por conta de alterações hormonais típicas de determinadas fases da vida. É o que ocorre em recém-nascidos, por conta da exposição do bebê ao estrogênio materno. Também estão inclusos nessa categoria os casos de ginecomastia na adolescência, por conta das oscilações hormonais características do início da puberdade. O mesmo ocorre nos idosos, em que a andropausa causa redução nos níveis de testosterona e pode provocar algum aumento nas mamas.

Problemas de saúde associados

Diversos estudos e pesquisas médicas têm relatado a ginecomastia como um efeito consequente de outros problemas de saúde. Entre essas condições, destacam-se problemas no fígado, insuficiência renal, tumores (incluindo o câncer de mama, apesar de ser raro em homens), hipertireoidismo e hipogonadismo (mau funcionamento dos testículos, reduzindo a produção de hormônios sexuais). Além disso, a obesidade pode ser um fator de risco para provocar desequilíbrios hormonais.

Em qualquer um dos casos descritos acima, é necessário tratar a causa primária antes dar início ao tratamento da ginecomastia.

Uso de determinadas substâncias

Uma das causas mais conhecidas da ginecomastia é o uso de esteroides anabolizantes, que podem converter hormônios masculinos em hormônios femininos e prejudicar a produção natural de testosterona. Além destes, outras substâncias, como drogas, álcool em excesso e alguns medicamentos podem ter a ginecomastia como efeito colateral.

Suspender o uso dessas substâncias tende a provocar a regressão do quadro, mas alguns casos podem exigir ajuda médica.