A ginecomastia é uma condição caracterizada pelo aumento nas mamas masculinas. Quando esse aumento é provocado exclusivamente por tecido adiposo, isto é, gordura, não se trata de um caso de ginecomastia mas sim de lipomastia, também conhecida como pseudoginecomastia, ou “ginecomastia falsa”. No caso da ginecomastia verdadeira, é preciso que seja constatado aumento real nas glândulas mamárias.

O que causa esse problema?

A ginecomastia é desencadeada por um desequilíbrio nas quantidades de estrogênio, hormônio associado às características femininas, e testosterona, hormônio associado ao desenvolvimento de características masculinas.

Em algumas fases da vida, como em recém-nascidos, adolescentes (principalmente no início da puberdade) e idosos, pode haver um descompasso na produção desses dois hormônios, o que pode ter a ginecomastia como consequência. Nesses casos, a condição tende a regredir espontaneamente depois de algum tempo, quando os padrões hormonais são reestabelecidos.

É possível prevenir a ginecomastia?

Tendo em vista que a ginecomastia pode causar problemas de autoestima e até mesmo condições de ordem psicológica, muitas pessoas questionam se há um meio de evitar que o problema ocorra. Assim, existem algumas situações que devem ser evitadas, pois elas contribuem para o desequilíbrio na relação testosterona-estrogênio:

  • Alguns medicamentos, especialmente antibióticos, remédios contra hipertensão e alguns medicamentos contra gastrite podem desencadear o problema;
  • Há estudos que também comprovam a relação entre o uso de drogas (como maconha, heroína e cocaína) e o abuso de bebidas alcoólicas com a ginecomastia;
  • O uso de esteroides anabolizantes pode desestabilizar a produção natural de testosterona, causando ginecomastia;
  • Alguns problemas de saúde, como tumores, doenças sistêmicas, cirrose hepática, hipertireoidismo e hipogonadismo também podem estar associadas ao desenvolvimento da condição.

Para prevenir a ginecomastia, é importante verificar os efeitos colaterais dos medicamentos utilizados e procurar tratar, o quanto antes, os problemas de saúde que possuem relação com o aumento das mamas. Além disso, é preciso evitar o consumo de bebidas alcoólicas e não utilizar drogas ou esteroides.

Outro meio de prevenir o surgimento do problema é evitar a obesidade, por meio de exercícios físicos regulares e alimentação balanceada. O acúmulo de tecido adiposo pode elevar as taxas de estrogênio, que é uma das causas da ginecomastia. A dica é controlar o consumo de gordura e consumir carne magra, verduras, legumes e frutas.

Ginecomastia: é possível prevenir?

Há tratamento?

Sim. Nos casos em que a ginecomastia surge como consequência de uma fase específica da vida, como o início da puberdade, por exemplo, a condição regride espontaneamente. Para os casos em que não houve regressão, mesmo afastadas e tratadas todas as causas, recomenda-se o tratamento medicamentoso, especialmente se o aumento nas mamas for acompanhado por reação de dor. O tratamento medicamentoso só deve ser realizado sob supervisão médica. Em casos de graus mais avançados, em que não houve resposta ao uso do medicamento, a cirurgia para remoção da glândula mamária é indicada.