Depressão, ansiedade, transtorno do pânico, TOC e estresse são termos cada vez mais utilizados pelas pessoas para se referirem a distúrbios de ordem mental. São problemas que podem acontecer com qualquer pessoa, cujas causas ainda não estão exatamente esclarecidas. Para auxiliar as pessoas a entenderem aquilo que está acontecendo, diagnosticá-las e oferecer possibilidades de tratamento, há dois profissionais indicados: o psiquiatra e o psicólogo Brasília.

Diferenças entre Psicologia e Psiquiatria

Diferenças

As pessoas, muitas vezes, têm dificuldade em compreender as diferenças entre esses dois profissionais. Embora tenham em comum o fato de lidarem com a mente humana e com os problemas que podem acometê-la, suas formações e métodos de atuação são distintos.

Psiquiatria

O psiquiatra é um profissional com formação em medicina e, tendo concluído sua graduação básica, obtém a especialização em psiquiatria. Este tipo de especialização tem duração de dois ou três anos e engloba áreas como a neurologia, a psicofarmacologia e técnicas para atendimento. Este profissional possui habilitação para, com base na análise de sintomas, estabelecer diagnósticos de transtornos mentais. Para a recomendação de tratamentos, o psiquiatra é autorizado a prescrever medicamentos, função não habilitada aos psicólogos.

Psicologia

O psicólogo também é um profissional dedicado à mente humana, mas não possui graduação em medicina. Possui formação superior em psicologia, área da ciência que estuda o comportamento humano e a maneira como o indivíduo age ou reage aos acontecimentos da vida. A psicologia estuda o desenvolvimento da razão, da emoção e do pensamento nas pessoas. O curso de bacharelado possui duração de 4 anos, com mais um ano para obtenção do título de psicólogo, com estágios supervisionados. Dessa forma, este profissional também está apto a realizar o diagnóstico de transtornos mentais.

O tratamento por meio da psicologia não envolve medicações, apenas orientações terapêuticas. Há diversas abordagens de terapia em que o profissional pode se especializar, como a Psicanálise, a Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC), a Gestalt Terapia e a Psicologia Humanista. O psicólogo pode atuar não só em clínicas e hospitais, como também em escolas, empresas, entre outras instituições.

Integração

Ao contrário do que muitas pessoas costumam pensar, os casos de transtornos mentais não chegam a uma encruzilhada em que é necessário optar por um ou outro caminho. Ao contrário, a psicologia e a psiquiatria são áreas parceiras que estão, constantemente, complementando uma à outra. Nem sempre é necessário que o indivíduo portador de transtornos mentais realize um tratamento medicamentoso, mas, quando o faz, é frequentemente complementado pela psicoterapia.

Ao mesmo tempo em que o medicamento atua no reequilíbrio químico do cérebro, a psicoterapia ajuda o indivíduo a conhecer as causas de seus problemas e a lidar com eles, procurando manter uma vida normal.