De tempos em tempos, todos olhamos para nossas residências e percebemos o quanto somos acumuladores. É só olhar para os armários, embaixo das camas, guarda-roupas e identificar que não utilizamos muitos de nossos pertences há muito tempo. Acumular inutilidades nada mais é do que perder espaços que poderiam ser ocupados com novos itens. Por isso, é necessário que nos desapeguemos daquilo que não é mais importante, especialmente antes de uma mudança residencial. Veja algumas dicas para se desapegar.

Tempo

Separe um dia para se dedicar exclusivamente ao processo de desapego. Fazer isso aos poucos pode aumentar a desorganização, se tornar cansativo e te desanimar. Para que você não desista, a dica é fazer a separação dos itens por categorias, e não por cômodos. Comece por roupas, depois calçados, papéis antigos, e por aí vai. Jogue fora tudo aquilo que não há mais como utilizar. Roupas que ainda podem ser aproveitadas, embora você não as deseje mais, podem ser doadas. Outros itens, como livros, por exemplo, podem ser vendidos, tornando-se uma possibilidade para ganhar uma grana extra.

Como se desapegar de pertences?

Prioridades

Uma dica interessante é começar por itens menos importantes, deixando os objetos de valor sentimental por último. Lembranças e presentes costumam ser itens mais difíceis de se descartar.

Avalie a importância de cada item

O ponto mais difícil do descarte de itens é a insegurança: será que isso me será útil? Se nos apegarmos a esse tipo de questionamento, não conseguiremos nos desfazer dos objetos. Há alguns questionamentos mais úteis para te ajudar:

  1. Quando foi a última vez que eu usei isso?

Pense na quantidade de usos que você faz dos objetos. Se faz mais de um ano que você não os utiliza, provavelmente esses itens não são mais importantes e você pode descartá-los. Seja realista e use apenas o que te interessa: você não vai repaginar aquela blusa; descarte-a.

  1. Eu compraria isso hoje?

Avalie se, hoje em dia, você seria capaz de gastar dinheiro com um item semelhante ao que você cogita descartar. Nossos gostos e prioridades se modificam com o passar do tempo. Desapegue-se daquilo que não te interessa mais.

  1. Quantos itens semelhantes eu tenho?

Há necessidade de ter dez modelos de um mesmo item? De quantos você realmente precisa? Quais você prefere? Separe os modelos que você não utiliza com tanta frequência e reduza produtos repetidos.

  1. Tenho espaço?

Avalie o espaço que você tem em sua casa para cada categoria de produtos. Vale a pena ocupá-lo com os itens que você já tem há tempos, ou é preferível adquirir modelos novos?

Com base nesses questionamentos, ficará mais fácil de se desapegar de seus pertences. Lembre-se: não é hora de saudosismos e compaixão pelos itens. Se você não os usa, descarte.