Chapeuzinhos de aniversário, colares de papelão, língua de sogra e vários outros itens e artigos para festa aparentam ser extremamente inocentes, mas escondem riscos iminentes para os adultos, e principalmente para as crianças.

A toxicidade do material é um dos dados mais importantes de se levar em conta na hora de analisar esses produtos, porém muita gente nem sabe que existe um mercado rígido por trás disso.

Por isso para conseguir minimizar qualquer tipo de efeito nocivo à saúde, bem como causar danos no contato com a pele, riscos mecânicos e contaminação por metais pesados, o Inmetro procura certificar todos esses produtos.festa02

Como funciona a certificação de artigos para festa

Todos os fabricantes, sejam eles importadores ou comerciantes nacionais de artigos para festa, precisam se adequar e demostrar que os itens que vendem sejam certificados em um processo compulsório dentro do Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade.

Assim é preciso que todos esses itens atendem aos requisitos da norma da ABNT, NBR número 13883 – de Segurança de artigos para festa – Dentro dos métodos e requisitos de ensaios.

Essa certificação, foi definida por uma portaria do Inmetro, número 545, em 25 de outubro de 2012, aprova todos os Requisitos de Avaliação da Conformidade (RAC) para os artigos para festas.

Todos os fabricantes terão que dentro de seus processos de produção auditar os organismos de certificação acreditados então pelo Inmetro, fazendo com que assim seus produtos sejam ensaiados em laboratórios que também são acreditados por essa entidade.

Isso irá demonstrar que eles atendem todos os requisitos exigidos pela NBR da ABNT, e que, portanto, eles não representam nenhum tipo de risco para a segurança de seus consumidores, em especial as crianças.

Como certificar de fato esses itens

O processo de certificação é feito junto a um Organismo Certificador (OCP), podendo ser bastante demorado e burocrático.

A OCP irá receber uma solicitação do Inmetro, que vem acompanhada de uma documentação do sistema de gestão de qualidade, para que assim possa se iniciar esse processo de avaliação e análise.

Durante todo o procedimento, serão realizados diversos teste no produto, para que então se possa verificar e confirmar a conformidade do mesmo.

A partir dessa verificação inicial, poderão ocorrer tanto a emissão de um relatório de Não Conformidade, o que é definido pela implementação de ações corretivas, ou então um planejamento para a realização de uma auditoria específica junto ao solicitante.

Feitas todas essas adequações, o organismo então irá emitir um certificado para que o produto seja enfim declarado dentro de sua conformidade, e posteriormente possa ser registrado junto ao Inmetro.

Com a emissão desse registro e certificação de artigos para festa, com certeza o seu produto terá um valor agregado muito maior, já que mesmo com custos decorrentes nesse processo, o investimento é extremamente positivo.

Isso porque os benefícios que sejam todo esse processo até o selo são inúmeros, entre eles:

  • Qualidade;
  • Credibilidade;
  • Segurança;
  • Confiança;
  • brics_certificacao-de-artigos-de-festa

Esses são apenas alguns dos fatores que fazem toda a diferença dentro do mercado, e que podem ditar diretamente o processo de compra de um consumidor.

Produtos que podem ser certificados

São considerados artigos para festa qualquer tipo de objeto que seja projetado e fabricado para serem usados então como utensílios, decoração ou recipientes para os fins alimentícios dentro das festas nas quais a participação envolve crianças menores de 14 anos de idade.

A certificação do Inmetro abrange:

  • Acessórios que tem um contato direto com a saliva ou pele;
  • Artigos para decoração e convites de festas.
  • Artigos para festas que são descartáveis e destinados ao acondicionamento de alimentos;
  • Artigos para festas que são descartáveis e que entram em contato com os alimentos;

Exemplos que podem entram nessa lista e que precisam ser certificados são:

  • Bandejas de papelão ou papel;
  • Convites;
  • Enfeites de bolo não comestíveis;
  • Enfeites de mesa;
  • Forminha para doces;
  • Pratos de plástico ou papelão;
  • Talheres de plástico;
  • Velas de aniversário.

A segurança direta desses produtos está relacionada com a borda cortante que possuem, o use de tintas que podem intoxicar as crianças caso ele alcance a boca, as faíscas que representam perigo de fogo e outros.

Por isso obtenha o certificado dos seus artigos para festa e fique tranquilo dentro do mercado.